segunda-feira, setembro 18, 2006

Mon vol de nuit...













Esta noite
Não consigo tirar a mão do espelho
Não consigo deixar de tocar a tua pele
Esta noite
Choras como eu
Como sempre
Eu sei que posso ser eu sem ti, eu sei
Que posso
Eu sei que posso amar sem ti
Brilhar sem ti, eu sei
Mas voar...
Como posso voar sem ti, não sei
Voar sem ti
Não consigo
Tirar os meus olhos dos teus
A minha pele da tua
A minha alma é
Esta.

Noite...


FJ



(Estás longe, Fernando, mas não a tua noite...)

3 comentários:

  1. Quanta saudade A Sombra tem das tuas lágrimas, Fab.
    Estás aí?

    RS

    ResponderEliminar
  2. O voo dos amantes só acontece no outro lado do espelho.
    Neste lado, só podemos escrevê-lo.

    Pedro Ludgero

    ResponderEliminar
  3. Normalmente, não activo os comentários nos meus posts. Esqueci de o fazer neste, mas depois de um comentário como o de Pedro Ludgero decidi manter esta caixa aberta.

    FJ

    (e, Rui, não estava)

    ResponderEliminar