quinta-feira, março 09, 2006

Three Sixty...



Ao que parece, estava marcada para hoje uma "vigília de repúdio pela morte da transexual Gisberta, alegadamente morta em Fevereiro, no Porto, por um grupo de adolescentes."
(transcrição da notícia do Público de ontem)

Esta iniciativa deve-se a "várias organizações", entre as quais a Frente de Combate à Homofobia, a Associação para o Estudo e a Defesa do Direito à Identidade de Género, a SOS Racismo, a Associação Abraço, a Casa do Brasil e a Associação Não te Prives (Grupo de Defesa dos Direitos Sexuais) (!!!!).

Pelos vistos, há tanta gente a "mamar" à pala dos homossexuais como à boleia da luta contra as minas terrestres... Uma tristeza. E o mais triste é que o fazem despudoradamente às cavalitas da pobre "Gisberta", que não ajudaram em vida.

Já aqui avisei do carácter genérico deste crime, que tem mais a ver com a manifestação da violência latente nas crianças e nos adolescentes do que com a identidade das vítimas, escolhidas por uma única razão: a sua incapacidade de defesa.
O video acima fala de um caso idêntico ocorrido semanas antes, nos EUA.
A vítima era um sem-abrigo. O mal é geral. E não é de agora.

Ou se tomam medidas drásticas ou se faz como dizia o outro:
Habituem-se!

6 comentários:

  1. Encoberto:
    Ainda bem que gostou.
    Procurarei conhecer o Quinto Império Digital (fiquei curioso!).

    Refresque-se nesta Sombra sempre que quiser. Um abraço,
    RS

    ResponderEliminar
  2. Será que miudos com 16 anos não tem consciencia do que fazem!? Será que o facto de serem menores, faz deles mais 'estúpidos'...

    Enfim...

    ResponderEliminar
  3. Sombra: (quase homónimo)
    É preciso ter a coragem de legislar com isto em mente, mas de adaptar esforços a montante do problema, também.
    Continuar como estamos é que não pode ser.

    Um abraço,
    RS

    ResponderEliminar
  4. Pois é amigo… os abutres aparecem sempre depois.

    ResponderEliminar
  5. PiresF:
    É a imagem perfeita para o caso.
    Não duvido que existam pessoas que realmente ajudem os mais desfavorecidos, mas raramente ouvimos falar nelas e muito menos nestas situações.
    O Andy, afinal, tinha razão. Todos terão os seus 15 minutos de fama, mesmo que sejam nojentos...

    Abraço,
    RS

    ResponderEliminar