sexta-feira, setembro 15, 2006

And we have a winner!

Nota prévia:
O conteúdo de material publicado na net é de domínio público, sendo reservados os direitos de autor no que toca à menção expressa do mesmo em caso de reprodução. Manda a boa educação que se obtenha autorização do autor para reprodução de material publicado, embora de facto apenas seja de bom tom mencionar a fonte e o autor.
No caso concreto dos comentários a entradas publicadas em blogs, ensinou-me a experiência de três anos na blogosfera que a flexibilidade é ainda maior, mas que as regras de facto se mantêm.
Os textos e imagens publicados n'A Sombra, mesmo quando acompanhados de copyright, estão sujeitos a esta conduta, e nunca recusei um pedido de reprodução em outro local, virtual ou não, como também nunca foi problema a publicação de material d'A Sombra sem a minha autorização, desde que devidamente assinalada a autoria do mesmo.
N'A Sombra, nunca foi publicado material de outros autores sem menção expressa a esse facto e, em muitos casos, essa publicação foi feita com a autorização expressa dos mesmos.


JSA, em Snowgaze Starkiss, em comentários à entrada "Blogue do Dia", de 14 de Setembro, da autoria de Snowgaze, que agradeço desde já ter dedicado a est'A Sombra, e que reproduzia na íntegra a pergunta quatro da série 5 / 911:

- Texto de JSA na íntegra.
- Comentários d'A Sombra cortam o texto, e estão devidamente identificados.

--- START ---
--- quote ---

Dou-te uma possível resposta a ti (depois de lhe ler o post) que ele não a aceitaria.

--- unquote ---

A Sombra:
Presunção e água benta...
E, como sabe, já publiquei e respondi a um comentário seu, na pergunta 3.
Não vejo qual seria o problema. Ou talvez veja.

--- quote ---

As listas não estão na posse apenas das companhias aéreas. Estão, após serem feitas, imediatamente disponíveis nas mãos do National Transportation Safety Board. Esta agência, federal, deve ter entregue imediatamente as listas ao FBI e CIA para investigação. Não deve ter demorado mais que o tempo de saberem (e souberam imediatamente) que um avião embateu contra uma das torres. Ou se calhar foi ao saberem que tinham desaparecido dos radares e ignoravam as ordens dos controladores em terra. Depois dos telefonemas dos passageiros terá sido simples identificarem que os sequestradores eram árabes. A partir daí foi uma questão de rever os vídeos de segurança do aeroporto para ver os passageiros e comparar com a lista de suspeitos (se não me engano, todos ou quase todos eles estavam nas listas a vigiar). Se os nomes dos terroristas foram divulgados mais tarde, isso deve-se certamente a questões de segurança da investigação.

--- unquote ---

A Sombra:
As listas estão na posse das companhias aéreas ATÉ à partida do vôo ou, pelo menos, ao fecho de venda de bilhetes, após o que os dados são IMEDIATAMENTE transmitidos à NTSB, vulgo "às autoridades" (autoridade não é só o Marshall ou o G-man, caro JSA), logo, nada acima me contradiz ou desmente. Aliás, você mesmo se contradiz no parágrafo seguinte.
Já a teoria (e repare que eu não avanço teorias e limito-me a factos, de onde fazer PERGUNTAS e não dar RESPOSTAS) da identificação dos terroristas por telefone é... uma teoria. Continuo a aguardar respostas da parte das autoridades competentes; as únicas capazes de as resolver cabalmente, como referi no início da série.

--- quote ---

Segunda hipótese, mais simples (mas também mais improvável): os terorristas compraram todos os bilhetes na hora, o que faz com que não estivessem no manifesto de voo. Ou mais simples ainda: deram identidades falsas, as quais foram facilmente identificadas.

---unquote ---

A Sombra:
Os manifestos de vôo são actualizados em tempo real. Um avião, como JSA deve imaginar, não é um Expresso da RN Tours. A ser assim, como diz, as listas tão atempadamente entregues pelas companhias à NTSB seriam uma perda de tempo. E, "mais simples ainda", se dessem identidades falsas teriam, seguramente, evitado nomes árabes. Eu, por exemplo, já estive detido na fronteira entre a Suíça e a França por parecer... árabe. E não me chamo Mohammed.

--- quote ---

Nota que não sabemos se ele realmente leu o relatório (eu apostaria que não) ou se está numa de "diz que disse". E também não sabemos se alguns dos "factos" que esgrime serão reais ou inventados.

--- unquote ---

A Sombra:
... E mais não sabemos se eu sou um agente da Al-Qaeda, se o JSA é um agente da CIA, se a Angelina Jolie vai fazer o Tomb Raider V, se a Coreia do Norte tem mesmo arsenal nuclear...
Realmente, há muita coisa que não sabemos.

--- quote ---

Por fim temos dois pormenores a saltar à vista e que esquecemos, muito por causa dos filmes: a maioria dos crimes, especialmente os grandes e internacionais, são resolvidos em apenas algumas horas após serem executados, especialmente quando já se tinham tantos indícios da sua possibilidade de ocorrerem (como era o caso) e os meios que um país como os EUA tinham ao dispor. Teorias da conspiração há muitas. É preciso é às vezes lembrarmo-nos que as coisas não seguem as lógicas do dia a dia.
By
JSA, at 12:20 AM

--- unquote ---

A Sombra:
Bem apesar da última frase do excerto acima, não me leve a mal, mas penso que quem anda a ver muitos filmes é o JSA.

--- quote ---

Já agora dou resposta às outras perguntas.
1. As torres caíram no espaço de tempo que um corpo demoraria a cair do toipo porque foi precisamente isso a acontecer. Aliás, terão demorado uns segundos extra. O facto de toda a estrutura estar suportada pelos pilares exteriores tornou a queda simples. A pressão do ar nos andares inferiores ajudou à destruição.

--- unquote ---

A Sombra:
Eu vou repetir:
"As torres caíram no espaço de tempo que um corpo demoraria a cair do toipo porque foi precisamente isso a acontecer." - E mais nada.

--- quote ---

2. É frequente que os corpos de vítimas de desastres aéreos estejam essencialmente intactos. A causa da morte é essencialmente devida a sangramentos internos e aos órgãos a bater nas paredes do corpo. Um avião, tal como um automóvel, está feito para absorver todo o choque na sua estrutura, o que o faz desintregrar-se (e assim absorve ainda mais a ebnergia cinética). Além disso é um corpo rígido, o que significa que se dfesintegra mais facilmente que um corpo humano, elástico.

--- unquote ---

A Sombra:
A temperatura do fogo que o relatório diz ter consumido o 757 do vôo 77 (Pentágono) derreteu dois motores de titânio de 6 toneladas cada, mas não os corpos (elásticos) dos passageiros.
Repito-me: Mais nada. Mas mesmo, mesmo!

--- quote ---

3. Todos os telemóveis funcionam nos aviões. As razões que levam as companhias a não os ligarem são pura e simplesmente de ordem comercial: os telemóveis no ar interferem com as redes em terra. Funcionam na mesma e não interferem com os equipamentos do avião. Os tais sistemas que permitem essas ligações servem para evitar interferências com as redes em terra.

--- unquote ---

A Sombra:
Acho que foi assim que comecei a terceira pergunta: Todos os telemóveis funcionam nos aviões. E até acrescentei que apenas deixam de funcionar a partir de determinada altura do solo, e até podia dar-lhe os planos oficiais dos vôos (aprovados pelas autoridades para divulgação) e os tempos dos telefonemas (idem) para verificar que... Mas, bolas, também o JSA deve ter algum trabalho de pesquisa, não acha?
A esta parte, aliás, já respondi nos comentários desta pergunta, n'A Sombra, mas acrescento aqui que é espantoso que a quantidade (há "n" mais) de notícias - sem ligação com o 9/11 - de jornais estrangeiros e nacionais que referi na dita entrada sobre a ligação entre os telemóveis e os sistemas de navegação, não lhe pareçam mais que uma gigantesca manobra de contra-informação; destinada a alimentar as teorias de conspiração, sem dúvida.

--- quote ---

Além disso não convém esquecer que o tipo de tecnologia nos EUA é diferente da nossa GSM na Europa e que os aviões estavam a voar a baixa altitude e, por isso, mais acessíveis em termos de rede. Esta pergunta surge apenas e só por ignorância.

--- unquote ---

A Sombra:
Quanto à altitude, já disse: pesquise, JSA; pesquise.
Mas quanto ao que me levou a fazer esta pergunta está a repetir-se, meu caro.
Já mais acima me tinha chamado ignorante.

--- STOP ---

Acho que, mesmo sem ter respondido à pergunta cinco, ainda não publicada quando escreveu estes comentários no Snowgaze Starkiss, vai levar o charuto, JSA. Mas não deixe de lhe responder! Estou morto por ver o que tem a dizer sobre a questão fundamental do 9/11: o dinheiro.

Como vê, A Sombra nunca corta a palavra a ninguém, desde que escreva consistentemente com o seu pensamento, se identifique e os insultos não sejam gratuitos ou obscenos.
Está em sua casa, JSA.
Volte sempre.

Rui Semblano
15 de Setembro de 2006

7 comentários:

  1. Mau caro. Não ando a ver filmes. Reafirmo o que disse antes: as respostas a muitas perguntas (especialmente as técnicas) não se encontram no dia a dia. Caso assim fosse qualquer pessoa poderia ser cientista, mesmo sem estudar para isso não?

    Como tenho mais que fazer que andar a rebater as suas desastradas "refutações" ponto por ponto (que ainda por cima são escritas num português estruturalmente desastrado - mesmo que isso não invalide as perguntas), deixo apenas uma questão das minhas:

    - porque é que os esquimós não morrem congelados no Círculo Polar Árctico se as temperaturas são tão baixas, estão rodeados de gelo, fazem os seus iglos de gelo e ainda por cima ficam praticamente nús dentro deles? Se conseguir responder a isto talvez possa fazer uma transposição para o facto de os corpos não terem sido carbonizados.

    Fazer perguntas não é uma virtude por si mesmo meu caro. Procurar respostas que não sejam fáceis (como esta do "é tudo uma maquinação!") e tentar questionar também quem levanta as questões originais (e tentar perceber porque o fazem), isso sim, é uma virtude.

    PS - eu não o chamei de "ignorante" em lado nenhum. Falei em "ignorância" num dos pontos. São coisas absolutamente diferentes. E escusa de fazer alarde de quaisquer "liberdades de expressão" ou de não censurar ninguém. Eu nunca disse que o faria. Disse que não aceitaria a minha argumentação, no sentido de a aceitar na sua cabeça. E tinha razão em dizê-lo, porque não o fez.

    Quanto ao resto, esteja à vontade para perder o seu tempo em questões irrelevantes e a ler estes documentos. Eu, pessoalmente, tenho muito mais (e melhor, se me perdoa a presunção) que fazer.

    ResponderEliminar
  2. Caro JSA,
    O que eu não entendo é como ainda não percebeu que é precisamente por não ser cientista (como a maior parte de nós, os que fazemos estas perguntas) que exijo as respostas de quem de direito.
    Não ser cientista, porém, não significa que não tenha conhecimentos suficientes para perceber a quantidade de informações, no mínimo, duvidosas que as autoridades oficiais forneceram até hoje (e ainda fornecem, de vez em quando).

    Mas já percebi que tem muito mais e melhor que fazer do que perder o seu tempo com questões irrelevantes a que tenta responder (qual cientista!).
    Por esse motivo, e para que não perca mais tempo com isto, é melhor ficarmos por aqui.

    Mas volte sempre, JSA. Volte sempre.
    RS

    ResponderEliminar
  3. Por falar em português (traduzindo: uma vez que a minha língua é o português) agradou-me particularmente a frase:
    "A causa da morte é essencialmente devida a sangramentos internos e aos órgãos a bater nas paredes do corpo."
    Gostei, especialmente, dos "órgãos a bater".

    Salut, camarade.
    (de passagem, mas a caminho)
    Fabien Jeune

    ResponderEliminar
  4. manuel cerveira15/9/06 16:43

    Caríssimo RS
    Já diz o povo que "não há pior cego do que aquele que não quer ver"... Infelizmente o mundo está cheio destes "doutores" donos da verdade, que têm explicação para tudo, mas que infelizmente não se conseguem sequer observar a eles próprios... Não estamos a pedir aos Doutores que "questionem", isso nós sabemos fazer (embora, parafraseando Maomé: "O homem é sábio enquanto procura saber; é quando julga saber que é ignorante"). De facto eu também não acredito nas "teorias da conspiração". Acredito sim na PRÁTICA DA CONSPIRAÇÃO! Prática que muitos governos, nomeadamente o norte-americano já muitas vezes deu prova de saber muito bem realizar... Os casos são muitos e não é necessário voltar a 11 de Setembro de 1973!... Basta pensar na conspiração para legitimar a INVASÃO DO AFEGANISTÃO E DO IRAQUE. Com documentos forjados e apresentados a público e inclusive nas reuniões das Nações Unidas...
    Caro RS. Não sei porque perdes tanto tempo...
    Abraço
    Manuel

    ResponderEliminar
  5. Isto sim. Isto é que é um post à moda antiga (que saudades do Barnabé), vim sem tempo e aqui fiquei.

    Mas agradeço em especial ao JSA, que proporcionou esta “elucidativa discussão” e claro, ao Rui que esteve ao seu melhor nível.

    Talvez um pouco efervescente, mas estas conversas são assim mesmo.

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  6. FJ:
    Arrière ces supersticions, ces anciens corps, ces ménages et ces âges. C'est cette époque-ci qui a sombré!
    (Jean-Arthur Rimbaud - "Génie", Illuminations)

    Ei-lo que regressa. Enfim?
    O tempo não responde jamais,
    fiel à sua promessa. E passa.
    A caminho. Claro. De luar.

    Onde estás, irmão?
    RS

    PiresF:
    Ah! O Barnabé...
    Mas o que seria de nós se o tempo quebrasse a sua promessa?

    Até (muito) breve, amigo Pires.
    RS

    ResponderEliminar
  7. Apobo:
    Desculpa a resposta tardia, mas estou com problemas na gestão dos comentários.

    Não é perda de tempo, dar atenção a palavras como as de JSA. Entendi pegar nas dele como poderia ter pegado em qualquer dos e-mails da/das "mentes brilhantes" que tenho recebido ou dos comentários e posts do género que tenho lido.
    Foi um exemplo tipo.
    E é sempre bom ver como o "outro lado" argumenta. Até dá gosto.

    Um abraço,
    RS

    ResponderEliminar